Quimiweb
Nutrição Humana & Animal
estados
vacinação
aftosa
febre
oie

OIE reconhece seis estados brasileiros como áreas livres de febre aftosa sem vacinação

Animal Business Brasil

Autor

OIE reconhece seis estados brasileiros como áreas livres de febre aftosa sem vacinação

Por

Os estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Acre, Rondônia e partes do Amazonas e do Mato Grosso agora são reconhecidos internacionalmente como zonas livres de febre aftosa sem vacinação.

Ao todo, são mais de 40 milhões de cabeças que deixam de ser vacinadas, o que corresponde a cerca de 20% do rebanho bovino brasileiro, e 60 milhões de doses anuais da vacina que deixam de ser utilizadas, gerando uma economia de aproximadamente R$ 90 milhões ao produtor rural.

O reconhecimento foi concedido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) nesta quinta-feira, na 88ª Sessão Geral da Assembleia Mundial dos Delegados da OIE. O Paraná também recebeu o reconhecimento como zona livre de Peste Suína Clássica independente.

Após a assembleia da OIE, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, anunciou em live a conquista do setor, ao lado de governadores dos estados beneficiados.

Ela ressaltou o empenho dos pecuaristas brasileiros e de toda a cadeia produtiva das carnes bovina e suína, em cumprir as normas sanitárias, e dos estados, no fortalecimento dos serviços veterinários.

“O reconhecimento da OIE significa confirmar o elevado padrão sanitário da nossa pecuária e abre diversas possibilidades para que o Ministério da Agricultura trabalhe pelo alcance de novos mercados para a carne bovina e carne suína do Brasil, assim como pela ampliação dos tipos de produtos a serem exportados aos mercados que já temos acesso”, disse a ministra, também agradecendo o empenho dos servidores do Mapa.

Requisitos

Para realizar a transição de status sanitário, os estados e regiões atenderam requisitos básicos, como aprimoramento dos serviços veterinários oficiais e implantação de programa estruturado para manter a condição de livre da doença, entre outros, alinhados com as diretrizes do Código Terrestre da OIE.

Plano estratégico

O processo de transição de zonas livres de febre aftosa com vacinação para livre sem vacinação está previsto no Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa (PE PNEFA), conforme estabelecido pelo Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa).

A meta é que o Brasil se torne totalmente livre de febre aftosa sem vacinação até 2026.

Fonte: Ministério da Agricultura

Equipe SNA


Leia este artigo com uma
conta gratuita.

Já tem uma conta? Faça Login

Relacionados

Aumenta a competitividade da carne de frango em relação a suínos e bovinos

Aumenta a competitividade da carne de frango em relação a suínos e bovinos

O aumento de preços das carnes bovina e suína eleva no mercado interno a competitividade da carne de frango, cujas cotações vêm recuando, informou o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Entre 1º e 24 de novembro,...

Por Animal Business Brasil

Guatemala propõe atualização da regulamentação de suplementos alimentares

Guatemala propõe atualização da regulamentação de suplementos alimentares

Caso a proposta seja aprovada, muitas mudanças seriam introduzidas que poderiam representar maiores desafios para os suplementos. Confira mais!

Por Food Connection

Embrapa: nova praga de pastagem é registrada em território nacional

Embrapa: nova praga de pastagem é registrada em território nacional

Pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária  (Embrapa) em Campo Grande (Mato Grosso do Sul) acabam de registrar, oficialmente, a infestação de Duplachionaspis divergens (Hemiptera: Diaspididae) em pastos brasileiros. Trata-se de uma cochonilha (inseto-praga) detectada em pastagens daquele estado com touceiras amareladas...

Por Animal Business Brasil