Quimiweb
Fertilizantes, Adjuvantes & Agroquímicos
brasil
lei
coalizão
europeus
boicote

Europeus foram precipitados ao ameaçar boicote ao agro do Brasil, diz Coalizão

Canal Rural - Agricultura

Autor

Europeus foram precipitados ao ameaçar boicote ao agro do Brasil, diz Coalizão

Supermercados e produtores de alimento da Europa ameaçarem, em carta enviada à Brasília, boicotar os produtos agropecuários do Brasil por conta do projeto de lei 510, chamado por eles de “PL da Grilagem”.

A mobilização dos europeus não foi bem recebida pela Coalizão Brasil, Clima, Florestas e Agricultura, movimento formado por mais de 280 representantes de setores como agricultura, finanças, indústria e meio ambiente.

Apesar de a coalizão ser contra o PL 510, o empresário Marcello Brito, que representa o grupo, disse que as empresas europeias não têm ideia do que está ocorrendo efetivamente no país e que erraram na estratégia.

“É uma precipitação total. Essas empresas não acompanham o processo, nem sabem qual será a lei efetiva que irá à votação. Entendo que essas ações (ameaça de boicote) fazem parte do jogo, infelizmente. Mas eu não gosto desse tipo de coisa”, comentou Marcello Brito. “Temos que reagir dentro da lei, o tema está em debate.”

Regularização fundiária: empresários europeus ameaçam boicote ao Brasil Celso Grisi comenta polêmica com soja da França e cana-de-açúcar da Índia

A coalização reúne nomes nacionais e estrangeiros como Banco Alfa, Basf, Bayer, Bradesco, BRF, Brookfield, BTG Pactual, Cargill, Danone, Gerdau, Itaú Unibanco, JBS, Klabin, Marfrig, Natura, Nestlé, Suzano, UBS, Unilever, WWF Brasil e Youth Climate Leaders.

A discussão sobre a proposta de regularização fundiária divide o próprio agronegócio. Enquanto grandes nomes do setor, membros da coalizão, criticaram o texto original, de autoria do senador Irajá (PSD-TO), a Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), que reúne a maior bancada do Congresso, saiu em sua defesa. A FPA também apoia o PL 2633/20, que trata do mesmo assunto. Não se descarta, portanto, qualquer desdobramento sobre o assunto nos próximos dias e até mesmo a integração dos textos.

Por meio de nota, Irajá afirmou que está propondo uma “legislação moderna, segura, eficaz e que garanta aos órgãos de fiscalização e de controle cobrarem o cumprimento das leis ambientais, trabalhistas e a função social da terra”.


Leia este artigo com uma
conta gratuita.

Já tem uma conta? Faça Login

Relacionados

Safras projeta queda na produção de milho em 2021/22

Safras projeta queda na produção de milho em 2021/22

O ajuste em relação aos números divulgados no mês passado leva em conta os problemas de estiagem registrados nos estados do Sul do Brasil

Por Canal Rural - Agricultura

Consultoria reduz números da soja no Brasil

Consultoria reduz números da soja no Brasil

Safras & Mercado aponta nível de produtividade e faz balanço sobre o clima

Por Canal Rural - Agricultura

Estiagem: quem são e o que querem os agricultores visitados pela ministra

Estiagem: quem são e o que querem os agricultores visitados pela ministra

Produtores do oeste Paraná pedem seguro rural, maior prazo para quitar financiamentos e uma lista de medidas; alguns falam em comprar terras em outros estados

Por Canal Rural - Agricultura